Síndrome de estocolmo e a verdadeira ana e mia

Estamos em 1998... Natasha tem 10 anos. Ela está a caminho da escola... Ela ainda não sabe, mas, sua vida vai se modificar drasticamente... Uma ida rotineira à escola foi transformada no mais longo sequestro da história... Natasha foi agarrada por um homem, colocada em um furgão e levada para um cubículo, construído embaixo de uma garagem, onde permaneceu refém por 08 anos. Só ela sabe as atrocidades que sofreu nesse cubículo... O que essa história, digna de uma filme de terror, tem a ver com qualquer um de nós? O que tem a ver com quem sofre com anorexia e bulimia? Natascha só tinha 10 anos quando esse evento mudou completamente sua vida. Ela foi seqüestrada e ficou cativa por 08 anos. O nome do seu seqüestrador e algoz era Wolfgang. O que fez Natascha ficar tantos anos presa? A princípio, essa prisão era externa, tinha paredes, porta de ferro, trancas. Mas, com o passar do tempo, não havia nada mais disso... A sua prisão tinha se transformado numa prisão interna. Ela agora estava presa dentro de si mesma... sem possibilidades de fuga porque só ela tinha a chave e não a encontrava... De seqüestrador cruel, Wolfgang foi lenta e imperceptivelmente se transformando num “amigo”, em alguém que “cuida”, em alguém que se podia confiar, talvez o único... Natascha chegou a afirmar: ““ Ele era parte de minha vida, por isso estou de luto..." Ao mesmo tempo que falava isso ela também “sonhava decapitá-lo com um machado . "Na Síndrome de Estocolmo as vítimas começam por identificar-se emocionalmente com os sequestradores, a princípio como mecanismo de defesa, por medo de retaliação e/ou violência. Pequenos gestos gentis por parte dos captores são frequentemente amplificados porque, do ponto de vista do refém é muito difícil, senão impossível, ter uma visão clara da realidade nessas circunstâncias e conseguir mensurar o perigo real. As tentativas de libertação, são, por esse motivo, vistas como uma ameaça, porque o refém pode correr o risco de ser magoado. É importante notar que os sintomas são consequência de um stress físico e emocional extremo. O complexo e dúbio comportamento de afetividade e ódio simultâneo junto aos captores é considerado uma estratégia de sobrevivência por parte das vítimas." . Como eram as relações familiares de Natascha antes do seqüestro? E após o término do seqüestro, será que essa história teve um final feliz? Após a sua fuga, seria natural se esperar que Natascha voltasse pra casa de sua mãe pra tentar recuperar o tempo perdido, no entanto, pouco tempo depois, ela decide sair da casa da mãe e ir morar só num apartamento. Pela recusa de Natascha em dar-lhe dinheiro, a sua mãe chega a se oferecer pra prestar serviços domésticos remunerados em seu apartamento, o que não é aceito pela jovem. O que estava por trás dessa atitude? Como seria a sua relação com a mãe? . É difícil fazer a reconstituição desses laços familiares, mas o que se sabe é que, seis meses após ela ter conseguido fugir do seqüestrador, a mãe foi indiciada por participação no crime. Segundo a polícia, a mãe teria planejado o seqüestro para encobrir supostos abusos sexuais sofridos pela menina. O ex-chefe de polícia de Viena confirmou a existência de imagens da jovem seminua e em poses eróticas, encontradas na casa da mãe dias após o seu desaparecimento. . A história de Natascha é muito forte, mas será que essa história difere muito de qualquer uma das histórias de quem foi seqüestrada pela Ana e pela Mia? . Será que, assim como Natascha, depois de passar por várias situações de sofrimento e, quem sabe, de abusos físicos e psicológicos, você também não foi seqüestrada por elas? . Tirando as menininhas mimadas que brincam de ana e mia nos blogs, quem verdadeiramente foi seqüestrada sabe dos intensos sofrimentos que já passaram antes de serem capturadas por elas. . Atire a primeira pedra quem tem Ana e Mia de verdade e não passou por uma perda intensa, mesma que nem saiba o que foi que perdeu com essa perda... . Muitas perderam o pai e/ou a mãe ainda pequenas, muitas foram abusadas sexualmente, muitas tiveram uma mãe que tentou suicídio, muitas perderam uma amiga que significava a única coisa que restava no meio de uma família despedaçada, muitas tiveram o lar destruído com a separação dos pais, muitas tiveram perdas intensas com viagens para quais não foram preparadas, muitas tiveram mães quem exigiam perfeição extrema, muitas tiveram mães obcecadas por rituais de limpeza, muitas foram espancadas, muitas foram separadas da mãe muito cedo, muitas se sentiram abandonadas com o nascimento do filho mais novo ou uma combinação de sofrimentos como esses... . Só depois de terem passado por isso é que vieram a Ana e a Mia para fazer o seqüestro. E elas lentamente mudam de status e se tornam as melhores amigas de quem já sofreu tanto assim... . Por que Natascha não fugiu? Será que ela tinha pra onde fugir? Será que tinha pra onde voltar? . E você, acha que tem pra onde voltar? Ou só lhe restou a Ana e a Mia na vida? . O certo é que uma parte de Natascha estava viva e bem viva. O seqüestrador havia tomado o seu corpo mas não a sua alma. E a alma de Natascha queria se libertar... Ela acreditou que a vida tinha que ser mais do que só sofrimento. Ela fugiu! E ao fugir ela conseguiu ser maior que toda a opressão que ela viveu antes e durante o sequestro. Natascha descobriu que era forte e usou sua força a seu favor, ela acreditou mais na vida do que na morte e venceu! Natascha se tornou símbolo da força interior que é capaz de vencer qualquer obstáculo! . E você, consegue acreditar que a vida pode ser mais do que essa prisão que a Ana e a Mia lhe proporcionam? A verdadeira ana e mia, que se chama anorexia e bulinia ,não pode te sequestrar, não pode mudar sua vida,para te arrastar para a doença. aqui neste blog, se apoia a "ana e mia" saudavel, apenas um apelidinho para a força de vontade em ser magra e se manter no peso ideal, pegamos umas atitudes ana e mia, mas atitudes saudaveis, nada que possa prejudicar a ninguem...e assim vamos levando a vida .

Nenhum comentário: